Hey você, leia isso por favor.

Eu quero agradecer por estar lendo o meu blog, é incrível o apoio e todo o amor que vocês tem me dado deis do comecinho do blog, eu sei que as vezes pode parecer que eu não dou valor a tudo isso, mas eu dou, e muito. Vocês mudaram a minha vida, este blog mudou minha vida, e é por isso e muito mais que tenho orgulho de ser Belieber. Vocês são incríveis, e é sério eu não vou esquecer de vocês. Muitas meninas que considero minhas melhores amigas, eu conheci por aqui. Estas histórias bobas (Tá parei) nos uniram, e eu me sinto muito especial quando recebo um convite no msn, e me falam que me add pelo blog, e que adoram ler as minhas histórias, vocês podem não comentar muito aqui, mas as coisas que vocês me falam no msn, são como um reforço para eu continuar. Isso vale muito para mim, e espero que vocês entendam isso. EU AMO VOCÊS! - Muito obrigada por tudo, vocês me seguem no twitter, no tumblr, no youtube, no msn, minha vida está rodeada de vocês, e eu AMO isso. Eu quero sempre ter vocês por perto, e é por isso que eu faço essas histórias com tanto carinho. Obrigada por ter lido, agora fique livre para fusar no blog. E não se esqueça, alguma sugestão pode dizer nos comentarios, a IB é para vocês, então, se sintam em casa (Meu Blog é de todos) .
Kisses by: Mary

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Forever & Always Cap 10

[ No dia seguinte ]
Levantei e como de costume fui direto para o banheiro. Na noite passada, quando cheguei em casa Nicole já estava dormindo, e pelo jeito não teve nenhum pesadelo. - Joguei aguá no meu rosto e passei a toalha devagar,me encarei no espelho e eu consegui ver o quanto eu cresci, o quão diferente eu estou. Eu cresci, minha aparência mudou, mas a minha vida não mudou nada, completamente nada, a mesma rotina de sempre ou melhor, a mesma rotina de mais ou menos 10 anos. Por que apenas agora eu estou vendo como minha vida não é normal, por que só agora estou percebendo o quanto nada, NADA mudou e eu continuo vivendo todos os dias do mesmo jeito há quase 10 anos, isso não é normal, tem algo errado nisso. - Prendi meu cabelo em um coque alto e entrei no banho. [...] Troquei de (roupa), arrumei minha cama e abri a janela. Depois do frio de ontem, para compensar hoje estava um clima agradável. - Olhei no relogio ao lado da minha cama, e eram 9:00hrs, acho que dormi mais do que costumo hoje, meus bebês devem estar com fome. O céu está completamente azul, parece que hoje vai ser um dia, mais um dia normal. Olhei para a janela do quarto do Justin, e a cortina estava fechada. abri um pouco mais a janela e desci para tomar café. - Não tinha ninguem alem de  Beth. ( Beth ajuda a organizar a casa, e a comida ). Me sentei na mesa, e coloquei um pouco de suco no meu copo.
- Bom dia Beth. - Eu disse um pouco desanimada e peguei um pedaço de pão.
- Bom dia querida. - Ela respondeu e eu me escorei na cadeira.
- Está tudo bem com você Amy?
- Sim, porque?
- Não sei, geralmente você está alegre, radiante todas as manhãs. Parece estar tão tristinha. - Ela disse e se sentou ao meu lado.
- Eu estou bem Beth, acho que vou pegar uma gripe, só isso.
- Mas porque não me disse nada querida, vou buscar remédios. - Ela disse afobada e se levantou.
- Não precisa...
- Precisa sim, não quero ver ninguém aqui doente, choramingando de dor pela casa. Principalmente você. - Ela disse sorriu e saiu. - Beth é como uma mãe para nós, ela não fica aqui por muito tempo, ela tem sua casa, e seus filhos para cuidar. Mas sempre que está por aqui alegra a casa, principalmente quando ela traz um de seus filhos. - Beth tem um filho de 18 anos, chamado David, e outro de 14 chamado Willian. David quase nunca vem para cá, Beth diz que é porque ele trabalha e é bem ocupado, mas Willian está de vez em sempre aqui, sempre curtindo os animais, e animando a casa. Eu realmente gostaria que Beth morasse conosco. Mas ela sempre diz que seus filhos não iriam gostar muito da ideia, mesmo eu sabendo que Willian iria adorar, David provavelmente não. - Beth voltou com a maleta de remédios, e esparramou todos na mesa.
- Aqui, tome um deste aqui princesa. - Ela disse e me entregou um comprimido e um copo de aguá.
- Eu acho que não é necessário.
- Não discuta comigo, é melhor prevenir do que remediar querida. - Ela disse e eu tomei o comprimido.
- Viu, não doeu nada. - Ela disse e começou a guardar os remédios.
- Por que não trouce o Willian, o dia está tão lindo. - Eu disse com a mão na boca.
- Ele está aqui. - Ela disse e fechou a caixa. - Está lá no aquário com a Nicolle. - Ela terminou e colocou a caixa em sima da geladeira.
- Agora entendi porque Nicolle não foi me acordar.
- Os dois devem estar desenhando lá.
- Mas escuta...- Eu acho que Willian iria adorar morar aqui.
- Ain Amy...
- O que ?
- Já falamos sobre isso.
- Mas você nem ao menos perguntou para eles.
- Aqui é muito longe do trabalho de David, e ele não iria se acostumar, ele já está acostumado com o mundo da tecnologia e a cidade grande. Vocês não querida...
- Mas nós temos tudo isso, apenas não usamos muito.
- Olha, eu vou conversar com eles, e depois te falo Ok? Mas não crie expectativas. - Ela disse me deu um beijo na testa e saiu. - Terminei meu café e fui até o celeiro. Os cavalos estavam agitados, e ficaram um pouco mais calmos quando me viram. [...] - Terminei de dar comida a eles, e os soltei, é bom ver eles correrem e fazerem o que quiserem por um tempo. Fui até o aquário e Nicolle e Willian não estavam lá. - Voltei para a frente de casa, e de longe consegui ver alguém vindo em minha direção, olha melhor e consegui ver quem era. Justin, é o Justin. Um sorriso instantâneo se abriu em meu rosto, e eu fui andando devagar até ele. Ele estava sorrindo também, provavelmente pela minha reação bobona.
- Posso ter minha primeira aula hoje? - Ele perguntou sorrindo e eu o abracei.
- Sim, você pode mas...
- Mas?
- Vai ter que ser paciente, e calmo.
- Eu vou tentar. - Ele disse e olhou para os cavalos soltos.
- Venha, vou pegar um cavalo para você. - Eu disse segurei seu pulso e o puxei.
[...]

[Justin narrando on ]
Caraca, aonde eu fui me meter?? - Eu não vou conseguir subir em um cavalo de novo, a ultima vez que eu fiz isso foi quando eu tinha 13 anos, eu ainda estava namorando com a Cailtin. Aonde eu estava com a cabeça, eu vou me arrebentar todo aqui. - Seja forte.
- Tudo bem ? - Amy perguntou.
- Sim, claro. - Respondi. - Um cavalo grande e negro já estava parado na minha frente, preparado.
- Coloque seu pé direito aqui, e dê o impulso para cima. - Ela disse e eu  fiz o mesmo.
- OMG, eu consegui. - Eu disse sorrindo e ela riu.
- Não é tão difícil como parece seu bobo. - Ela disse e sorriu.
- Agora... Assente a planta dos pés na base dos estribos, com o calcanhar para baixo e a biqueira ligeiramente para fora. - Ela disse sério e calma. O que eu deveria ter dito é :
" - O que?? - base do que? - Que planta?- O que é biqueira?? - Você poderia falar na nossa lingua por favor??" - Mas o que eu realmente disse foi :
- Ok, entendi. - (Sou um idiota eu sei).
- Tudo bem...Agora dê um sinal ligeiro com as rédeas e use a voz, pernas e peso do corpo para conduzir o cavalo. - Ela disse ainda calma. Tudo bem, desta vez eu entendi, mas não prometo que vou acertar.
- Está pronto ?
- Como assim ??
- Fica calmo, ele vai ir devagar. - Ela disse e deu três pequenos tapas fraquinhos no cavalo.
- Cuida dele garoto. - Ela disse olhando para o cavalo. - É para eu cuidar do cavalo, ou para o cavalo cuidar de mim?.... - O cavalo começou a andar. Nunca senti meu coração bater tão rápido. -Para aonde ele está me levando ?? - Gritei para ela.
- Para aonde eu estou o guiando. - Ela respondeu, bem ao meu lado, montada em outro cavalo.
- E para aonde você está o guiando?
- Relaxa...é só um passeio. - Ela disse e sorriu. - Então, o que te trouce aqui hoje ?
- Minhas pernas. - Respondi e ela me encarou segurando a risada.
- Eu sei que você quer rir. - Eu disse e ela riu. - Sabe no que eu não acredito ?
- O que ?
- Que eu passei 18 anos sem conhecer você. - Eu disse e ela sorriu envergonhada.
- É sério, se eu tivesse te conhecido antes, talvez eu já estivesse craque com os cavalos como você.
- Ou talvez melhor.
- Impossível. - Respondi e ela riu.
- Não é impossível. - Quando eu aprendi a andar de cavalo, eu cai nos primeiros segundos, você ainda não caiu, isso pode querer dizer algo.
- Quantos anos você tinha ?
- 6. - Ela disse e eu ri.
- Eu tenho 18, percebeu a diferença ? - Eu disse e ela sorriu.
- Isso não faz nenhuma diferença. - Posso te fazer uma pergunta ?
- Siim.
- Você acha que eu sou normal ? - Ela perguntou um pouco tristonha.
- Desculpa te responder com outra pergunta, mas porque você esta me perguntando isso?
- Eu não sei, eu acho que depois que eu conheci vocês, percebi o quão minha vida é diferente, eu...eu só estou achando meio estranho.
- Sua vida é incrível, muitas pessoas amariam ter uma vida assim, inclusive eu. - Você não é normal, você é especial do seu jeito. Pode tirar estes pensamentos ruins que estão na sua cabeça agora, porque ser normal não é o que você está pensando, ser normal é chato. E é por não ser normal, que sua vida, e você são incríveis. - Eu disse (Isso foi profundo). E ela abaixou a cabeça sorrindo.
- Obrigada, você é um ótimo amigo. - Ela disse e olhou para mim sorrindo.
- Agora pode me dizer para aonde estamos indo? Não quero ficar em um lugar em que você possa me matar, me jogar em um poço e ninguém nunca ira me encontrar.
- Credo que dramático. - Ela disse rindo.
- Me diz.
- Não preciso mais dizer, já chegamos. - Ela disse e foi parando devagar, segui os movimentos dela e consegui parar também. O céu estava completamente azul e deixava aquela vista mais bonita ainda. Era realmente incrível e calmo.


- Quantos lugares incríveis assim você tem aqui? - Perguntei e ela desceu do cavalo.
- Nunca contei...Quer ajuda para descer?
- Não, acho que já peguei a manha. - Eu disse e desci, com um pouco de dificuldade, mas acho que não deu para notar.
- É acho que sim. -  Ela disse e prendeu os cavalos em uma arvore. - Venha. - Ela disse e se sentou em uma das pedras. Segui ela e me sentei ao seu lado. Ela estava com um cheiro delicioso, brincava com suas botas D.Martnes e suas pernas de um jeito "sexy". Não queria olhar para suas pernas, mas eu sou homem, é quase que impossível.
- Acho que você tem rasão. - Ela disse baixinho.
- Em que ?
- Minha vida...acho que não encontraria nada melhor. - Ela disse, olhou para mim e sorriu. - Olha isso, é lindo.
- Eu sei, é incrível. É bom para relaxar e conversar. - Eu disse e me deitei na pedra.
- Sabe o que eu acho ? - Ela perguntou, e eu fiquei em silencio esperando ela prosseguir. - Eu acho que vou entrar. - Ela disse e se levantou. Tirou as botas e a camiseta, tentei não olhar para suas curvas, mas como tinha dito antes, eu sou homem. Ela virou para mim sorrindo, passou a mão no cabelo e subiu em uma pedra mais alta, deu um impulso para traz e mergulhou. Confesso que senti uma atração por ela agora, mas é coisa passageira, não me culpem, ela é linda. Levantei, tirei a camisa e mergulhei também. Não pensei que o lago fosse fundo, mas é, não muito fundo, mas se alguém tentasse me matar ali, iria conseguir bem fácil. (Drama).
- Não acredito que você pulou. - Ela disse tirando o cabelo do rosto.
- Eu não acredito que VOCÊ pulou. - Eu disse e ela riu.
- Você é doido.
- Você é doida.
- Vai ficar me imitando ??
- Desculpa. - Eu disse e ela riu, e logo depois mordeu os lábios. Segui os olhos dela e percebi que ela estava olhando para o meu peito. (Meu tanquinho sedução) . Disfarcei, mas ela percebeu que eu percebi. (Hãn?). - Ela jogou um pouco de aguá no rosto e balançou a cabeça negativamente, para ela mesma.
- O que foi ? - Perguntei e ela riu.
- Nada, nada não. - Ela disse brincando com as mãos na aguá, tentando desviar o olhar. (Do meu tanquinho sedução). - Eu só...nunca tive amigos assim como você, Chris e a Caitlin.
- Nunca mesmo ? - Perguntei surpreso.
- Na verdade, eu já tive um, é acho que sim.
- Por que você está em duvida?
- Porque com ele foi um pouco diferente. - Ela disse e eu entendi perfeitamente o que ela quis dizer.
- Acho que entendi...um namorado ?
- Não...não chegou a esse ponto. Ele morava na casa que tinha atras do lago. Ele era uma ótima companhia, mas...mas ele começou a ficar um pouco paranoico.
- Paranoico como ?
- Ele começou a pesquisar sobre minha vida, e coisas do tipo. Eu não tenho muito o que contar sobre mim. Ele queria saber, mais, e mais. Como a maioria das perguntas não tinham respostas, ele começou a investigar para ver se consegue achar as respostas. - Até que...
- O que ??
- A casa do lago pegou fogo. E nunca mais o vi. a única coisa que sobrou da casa, foi uma caixa, cheia de papeis, e coisas sobre mim que provavelmente ele pesquisou. - Eu não entendo, nunca entendi a necessidade dele, de saber mais.
- O que ele queria saber exatamente ?? Você sabe?
- Não.
- Que estranho. - Eu disse fitando seu rosto, ela parecia tensa, provavelmente não se sente muito bem falando sobre isso.
- Eu me culpei tantas vezes, não sei se ele está vivo, morto, ou se ele ao menos está bem. - Ela disse meio tristonha e jogou mais um pouco de aguá no rosto. A curiosidade tomou conta de mim, ele deveria saber de algo, ele deveria querer algo especifico, provavelmente dinheiro. Me aproximei dela e levantei seu rosto, o nariz estava vermelho e os olhos também.
- A culpa não é sua.
- Como você sabe ?...Eu não tinha as respostas que ele queria, e talvez se eu tivesse, isso não teria acontecido.
- Você está ouvindo o que você está dizendo? - Você não sabia, a culpa não é sua. E se ele foi idiota o bastante para...eu não sei, se entregar para a curiosidade. Eu acho que é o melhor para você ter se afastado.
- Eu não me afastei, ele desapareceu...ou morreu. - Ela disse e voltou a abaixar a cabeça. Eu não suporto ver garotas chorarem. Puxei ela para mais perto e a abracei......


CONTINUA... 
(5 comentarios
Agora vou ser má. 





segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Show + Plágio + Recuperei meu blog

Bem...em primeiro lugar eu não sei se alguém viu o mu comentário, mas isso não importa. Meu blog foi Hackeado, e eu fiquei tipo desesperada, e agradeço as meninas que estavam me ajudando a recuperar ele, e as que ficaram do meu lado xingando o hacker desconhecido. Então é isso, eu recuperei meu blog, vocês vão continuar tendo minha Ibs, e bem...continuar lendo os meus anúncios, minúsculos e chatos, como esse.
Em segundo lugar, eu queria dizer eu que estou MUITO CHATEADA, com uma certa menina, que eu não quero citar o nome, e muito menos o blog, bem...ela etá copiando as minhas Ibs na cara dura, ela está usando até o mesmo visual do blog ( O QUE?? ). Olha, eu realmente agradeço quem gosta e lê a minha Ib, muito, muito mesmo, mas copiar ai não dá né. Eu faço as minhas Ibs com muito, muito carinho, e não é fácil, realmente não é nada fácil, ai vem certas pessoas e copiam na cara dura? Olha, eu realmente acho uma graça quando se inspiram na minha IB, o que muitas amigas minhas já falaram para mim que fizeram, fazem histórias, INSPIRADAS na minha, eu nem ligo se for uma parte ou outra igual, mas tipo...Copiar a IB inteira, não dá né? Isso é ridículo, olha, se você...a menina que está fazendo isso, ta vendo esse post, por favor pare. Primeiro...meu blog tem seguidoras fiéis, e elas sabem como é cada parte, cada post das minhas postagem, tem algumas que veem me dizer coisas até da minha primeira IB que nem eu lembro. Elas sabem de tudo, elas acompanharam deis do começo (A maioria), tenho a maioria no msn, e foi uma delas que me mostrou seu blog. Então...tome cuidado, eu poderia muito bem já ter denunciado você, por que primeiro...você não foi nada esperta, não trocou nada, até os mesmos nomes, e os meus "toques especiais", está tudo idêntico. segundo, meu blog já está ativo a mais tempo que o seu. E terceiro, por que nenhuma 'Belieber", pessoa que faz isso mereçe meu respeito. Mas eu vou ficar na minha, e esperar que você pare. Então por favor, pare, eu não me importo quando as minhas leitoras fazem banners iguais os meus, algumas partes da imagine "parecida" com as minhas, colocam os gifs que eu uso no final no blog dela, por que eu vejo isso, como uma atitude fofa, uma atitude de leitoras que se inspiram nas minhas imagines, mas a sua atitude, foi baixa, e ridícula. O que você está fazendo é crime, o que você está fazendo é PLÁGIO.
Bom...depois deste desabafo quero falar sobre o show. Bom...muitas Beliebers foram, e muitas não. Mas olha, tenho muita coisa para falar, então vou resumir tudo em uma duas palavras. FOI PERFEITO.



Proximo Capitulo em breve. 
Amo muito Vocês, Obrigada por tudo, TUDO mesmo. <3











terça-feira, 4 de outubro de 2011

Forever & Always Cap 9

[Alguns minutos depois]
Eu já estava conseguindo sentir o cheiro do espaguetena cozinha, e Chris estava tagarela novamente (Não me lembro de ele ter parado). Caitlin subiu toda melosa falando no celular com seu novo "ficante", e eu to aqui no sofá, tentando ignorar o Chis, e esperando a Amy chegar.
- Justin que horas ela vai vir?- Mamãe gritou da cozinha.
-Ela disse que daqui a pouco vinha para cá. - Gritei novamente e Chisc omeçou a rir (Ignorei). Caitlin desceu as escadas cantarolando, e sorrindo, sentou ao meu lado no sofá e ficou olhando para o teto.
- Vocês dois não são normais.
- Falou o menino que revirou o lixo. - Caitlin disse.
- Como vc sabe disso?
- Vc me contou, e eu contei para ela - Mamãe gritou lá da cozinha.
-Muito obrigada mãe.
- De nada filho, mãe é para isso. - Ela ninguem falou mais nada, eu até estava gostando do silencio mas sabia que não iria durar muito.
-Hey...Justin. - Chris disse com voc de sapeca (Ignorei)
-Justin, Justin, Justin, Justin, JUSTEEEEEEEEN.
- O QUE FOOOI????
- Vc ficou com a Amy??
- Me poupe Chris cláro que não. - Eu disse e troquei de canal.
- Mas você ta gostando dela né?
- Como amiga. Chris desincana desse assunto por que eu e a Amy não vai rolar.
- Para Chris, você sabe como isso vai acabar, não adianta ficar perguntando, ela já está vindo jantar, ela está 2 semanas adiantadas, geralmente o jantar na casa da mãe vem na terceira semana. - Caitlin disse e eu me levantei. Fui subir as escadas e a campainha tocou.
- EU ATENDO. - Gritei.
- Nós sabemos que vc vai atender. - Chris disse e eu o fusilei com os olhos.
- Por favor,sem piadinhas como essas que vocês estavam fazendo agora, vão assustar ela. - Eu disse baixinho e eu abri a porta.
- Oiieee, boa noite. - Ela disse sorrindo eme abraçou.
- Boa noite Amy, que bom que veio. - Eu disse e fechei a porta.
- Você praticamente me obrigou.
- Mas você me obrigou primeiro.
- Digamos que estamos kits, se bem que não vai ser nada mal. - Ela disse e penteou os cabelos negros, que estavam soltos com as mãos, e pude ver novamente aquela pequena mexa roxa. Ela estava com uma roupa casual, com seus longos cabelos negros e ondulados soltos, e os lindos e penetrantes olhos castanhos brilhando, como sempre.
- Que que é isso ?? - Chris disse e olhando para ela. - Você está linda. - Ele disse e a abraçou.
- Obrigada.
- Caitlin já vai descer, ela foi atender o celular de novo. - Chris disse e segurou a mão dela a guiando paraa sala. - (Eu não sei se ele percebeu mas EU trouxe ela aqui como MINHA convidada, O que eu estou falando??).
- Amy,já chegou querida? - Mamãe perguntou e veio dar uma olhada na sala, e abriu um sorrisão quando a viu. - Que bom que você veio jantar, estou muito feliz.
- Eu também, espero não estar encomodando.
- Que é isso, imagina. Pelo ao contrario....- Fiquem ai conversando apenas mais alguns minutinhos ok? Já está tudo quase pronto. – Mamãe disse e saiu.

[ Justin narrando of]
[Amy narrando on]

Senti que o Justin estava um pouco pensativo, com a cabeça um pouco longe tentando não prestar muita atenção na minha conversa com o Chris. Chris estava me contando sobre sua ultima viagem para o Havaí, e me dizendo como é perfeito por lá, eu estava adorando a história, mas conseguia perceber que tinha algo incomodando o Justin.
- Amy, desculpa a demora, estava falando no celular. – Caitlin disse eu levantei a cumprimentei com um abraço e nos sentamos novamente. Chris logo voltou a falar, e Justin continuou do mesmo jeito, apenas olhando para mim e depois para o Chris.
- Justin...- Chamei por ele e ele me olhou com os olhos castanhos arregalados, como se estivesse surpreso por eu ter chamado por ele.
- Você já foi para o Havaí?? – Perguntei e ele sorriu percebendo meu esforço de puxar assunto.
- Sim, e lá é simplesmente incrível. Tem muitos animais, você iria adorar.  Também iria adorar  Bahamas. – Ele disse e balanço a cabeça, “agradecendo” pela pergunta.
- Verdade, em Bahamas nós nadamos com os peixes.  e com baleias e outros animais marinhos, lá é realmente incrível. – Caitlin disse sorrindo.
- Parece ser mesmo.
- Quem compra suas roupas?? – Caitlin perguntou brincando com meu colar.
- Bem... Meu tio contratou uma mulher para cada 3 meses ir lá em casa e colocar muuitas roupas novas. Tirar algumas e etc...não escolho nada, apenas uso. Ela escolhe o que acha que combina comigo e eu uso.
- Nossa você realmente tem muito dinheiro. – Chris disse.
- Acho que sim,  só não sei de onde vem tudo isso, é algo muito curioso...
-  Está pronto, venham. – Pattie gritou da cozinha e nós nos levantamos. Justin deu um sorriso amigável e quando ele ia estender sua mão para me guiar, Caitlin segurou minha mão e me puxou para a cozinha, ele recuou sua mão e a colocou no bolso do moletom preto.
- Nossa isso está com uma cara, e um cheiro delicioso. – Caitlin disse e se sentou. Justin puxou uma cadeira bem ao seu lado para eu me sentar, e Chris me puxou para eu sentar ao seu lado, entre ele e a Pattie. Justin olhou para o Chris indignado, e se sentou na cadeira. Não sei se ele estava percebendo que eu estava notando cada movimento dele, mas talvez eu realmente não devesse estar fazendo isso, mas ele parece estar tão tenso e um pouco frustrado, que é meio que impossível não notar.
- O que foi Justin ? É espaguete, você deveria estar se lambuzando todo.
- Tem visitas mãe, não posso enfiar minha cara no prato. – Ele disse e eu ri.
- Eu não me importo. – Eu disse em um tom divertido e ri.
- Mesmo assim, não seria muito educado.
- Tudo bem, mas eu repito que não me importo. – Eu terminei e girei meu garfo no macarrão.
Terminamos de comer e o celular da Caitlin tocou, ela chamou o Chris e disse que eram seus pais, e que queriam conversar, os dois saíram da mesa e foram lá para cima.
- Eu já volto, vou buscar meu celular. – Justin disse e saiu.
- Então... estou vendo que já está se enturmando com a turma da pesada. – Pattie disse e eu ri.
- Eles são muito legais, e me fazem me sentir confortável, eu nunca tive amigos assim, então está sendo bem divertido para mim. – Eu disse e ela sorriu, logo após fez uma pequena careta de dor.
- O que foi? Tudo bem? – Perguntei.
- Sim querida, eu apenas torci meu pé hoje e ainda está um pouco dolorido, mas já está tudo bem.
- Eu já perdi as contas de quantas vezes torci o pé quando criança. Meu avô sempre quis me ensinas Hipismo, e minha mãe nunca concordou, por que é um esporte perigoso. Mas eu e ele sempre treinávamos escondidos, e na maioria das vezes eu me machucava, torcia o pé, ralava o braço, essas coisas. E quando eu chegava em casa, ele sempre dizia alguma lorota para minha mãe não perceber os machucados, mas ela sempre percebia e ele conseguia contornar a história para o lado dele. – Eu disse e ela sorriu.
- Seu avô parece ser um exemplo.
- Ele realmente era, era um verdadeiro exemplo...
- Mãe...traz uma tesoura para mim por favor? – Justin gritou e ela deu mais um pequeno gemido de dor.
- Quer que eu leve para ele ?? – Perguntei.
- Muito obrigada Amy, eu agradeceria, a tesoura está na segunda gaveta, eo quarto dele é a ultima porta do terceiro andar. – Ela disse, eu me levantei peguei a tesoura e fui até o quarto. Bati na porta e Abri devagar.
- É a Amy, posso entrar ??
- Claro, entra ai. – Ele disse lutando com um fio saindo de seu moletom.
- Pare de puxar, vai piorar. – Eu disse e me aproximei com a tesoura, segurei o fiu e cortei. Ao sentir a respiração dele, a minha respiração acelerou, recuei e olhei para cima, ele estava com amesma cara que provavelmente eu deveria estar.
- Huum. Seu quarto é muito legal. – Eu disse e ele respirou fundo.
- Obrigada. – Ele disse e passou a mão no cabelo.
- Aqui tem uma vista linda, da para ver meu quarto daqui. – Eu disse olhando pela janela.
- Sério, eu não sabia. – Ele disse, se levantou e veio olhar também. Não sei o porque, mas senti um pouco de ironia nisso.
- Eu acho que vou adorar aprender a andar de cavalo. – Ele disse me encarando, olhei para ele e sorri.
– E eu vou adorar te enscinar. – Respondi e sai da janela. – Acho melhor nós descermos.
- Concordo, vamos ?? – Ele disse e segurou a porta . Nós descemos e Chris e Caitlin já estavam lá na sala com Pattie.
- Estamos voltando para casa amanhã. – Caitlin disse um pouco emburrada.
- Porque vocês não iriam ficar até o final de semana? – Justin perguntou.
- Sim, mas os nossos pais eestão voltando, e querem agente de volta.
- Que pena. – Mamãe disse.
- Imagina, agente vai sempre vir passear por aqui, nem vai dar tempo de sentir saldade. – Caitlin disse e a abraçou.
- Sei..a ultima vez que falou isso, vocês ficaram afastados durante meio ano. 
- Mas agora é diferente, você não está mais com aquela...esquece. - Ela disse e olhou para baixo, como se estivesse escondendo algo. - E nós só vamos embora amanhã, então fiquem tranquilos. Ela disse e eu olhem no relogio, já era 23:00, já passou da hora de eu voltar para a casa. 
- Gente, já está muito tarde eu preciso ir.
- Nããão. - Chris disse e levantou.
- Eu preciso ir, já está tarde e minha irmã não vai dormir até eu chegar.- Respondi e ele abaixou a cabeça. - Vamos nos ver denovo Ok? - Eu disse e Caitlin me abraçou, um abraço gostoso e verdadeiro, por incrivel que pareça consegui sentir que ela realmente gosta de mim.
- Vamos voltar para te ver. - Ele disse e me soltou. Chris me abraçou forte e me deu um beijo na bochecha.
- Bom querida, até outro dia, vamos estar sempre aqui, qualquer coisa pode vir. - Pattie disse e me abraçou.
- Obrigada, eu disse e ela me soltou.
- Bom... - Justin disse parado na minha frente. - Nos vemos na minha primeira aula. - Ele disse e me deu um beijo meio "babado" na bochecha....

WELCOME TO BRAZIL BIEBER 
WELCOME TO BRAZIL JELENA 
BRAZIL WANTS BIEBER SMILE 
OBRIGADAA A TODO MUNDO QUE ME AJUDOU, E DESCULPA PELA DEMORA. 











terça-feira, 27 de setembro de 2011

Por Favor Assinem

Meninas por favor assinem. Vocês sabem o quanto isso é importante para mim xD


http://twitition.com/gjlx8/

http://twitition.com/gjlx8/

http://twitition.com/gjlx8/

http://twitition.com/gjlx8/

Quem tiver tumblr, por favor me segue, e reblogem o meu post para o concurso. E o video e a foto que vou colocar, beijooos, OBRIGADA.

ps: Desculpa, por ficar pedindo essas coisas para vocês, mas acho que vocês me entendem não é, vou usar todos os recursos que eu posso. xoxo

maryaami.tumblr.com

maryaami.tumblr.com

maryaami.tumblr.com

Bieber Fever / Verified Belieber.


Hey Beliebers bom, quem ai ainda não é membro do Bieber Fever ?? (você? Não acredito ). É muito fácil participar, você só precisa pagar $8,99 dólares por mês, que em reais dá o total de ( mais ou menos) $18,00. E vale muito a pena, porque alem de fazer parte do FC oficial, você vai ganhar um kit de cadastro tipo PERFEITO, muito fofo, e ainda tem mais, você vai ter muitas vantagens por exemplo...
Você vai ter acesso a videos e fotos exclusivas. 
Você vai poder jogar Jogos do Bieber Fever. 
Concursos com prêmios exclusivos. 
Ser membro da comunidade do Bieber Fever. 
Chance de conhecer o Justin (Isso você não pode perder *O*) 
E mais, muito mais. ( Awww c'mon) 
 Apenas no Bieber Fever você vai conseguir fazer isso, ele te dá muitas opções, bem...eu não iria desperdiçar está chance, porque né. Então vá lá chamar seu pai, sua mamãe, sua avó, avô, tio, tia, cachorro, papagaio, cavalo, peixe, gato, pode ser até o poster do Justin Bieber na sua parede, não importa, mas você precisa se cadastrar deste site, você quer ser uma fã oficial não é ? uma Verified Belieber ? Então faça parte do site oficial, do BIEBER FEVER! 

É sério, eu ainda não sei porque você não faz parte do FC ainda. 







sábado, 24 de setembro de 2011

Forever & Always - Cap 8

(- Você é tão diferente.
- Diferente como? - Perguntei e me aproximei mais.
- Eu não sei, é tão verdadeiro, e é você mesmo, sinto que você é transparente, só você, sem nenhuma mascara. - Ela disse e eu abaixei a cabeça.) 

...........
- Eu me sinto normal perto de você. 
- E porque você não seria normal ? Pelo dinheiro? Se pensar por esse lado eu não sou norma também, e mesmo assim, ninguém é normal. E com certeza você está longe de ser normal. - Ela disse e riu. 
- Porque ? 
- Celular, lixo. Te lembram alguma coisa? - Ela perguntou e nós rimos. - Como eu passei de lagrimas para um sorriso tão rápido? 
- Eu não sei, talvez esta aranha no seu cabelo seja a culpada. - Eu disse e ela ficou me olhando. - Porque você não gritou? balançou a cabeça, o cabelo, gritando "Tira, tira isso de mim? " - Eu disse e ela continuou me olhando com um olhar de "Hãn?" - A qual é, o susto da aranha sempre funciona. 
- Eu moro em uma fazenda, já fui picada por muitas aranhas, não tenho medo disso. E eu sei muito bem que não tem nada em mim. - Ela disse e passou a mão no cabelo para checar. 
- E do que você tem medo? - Perguntei me sentando de frente para ela, e ela virou de frente para mim também. 
- Eu tenho medo de Leões, de levar uma cuspida de um macaco, de ser perseguida por um psicopata com uma faca na mão, tenho medo de levar um tiro no olho, de desmaiar no meio do mar e morrer afogada, eu tenho medo de muitas coisas. 
- Nossa isso são coisas muito especificas, o que você tem contra a saliva dos macacos? 
- Nada, é que uma vez eu sonhei que um macaco tinha me engolido, e eu estava na boca dele, e der repente a saliva dele começou a subir e estava tipo me "queimando", foi horrível. - Ela disse e eu ri. 
- Belo motivo para odiar o cuspi dos macacos.
- Eu acho eles fofos, depende tem alguns que são...assustadores, tipo o macaco de tromba. - Ela disse e eu ri, ri, ri muito. - É sério, ele aparece nos piores dos meus pesadelos, foi ele que me engoliu, eu peguei trauma. - Mas do que você tem medo? 
- Eu não sei, também tenho medo de ser perseguido por um psicopata com uma faca na mão, principalmente se o psicopata for parecido com um macaco que cuspiu no meu olho logo depois de matar um leão. - Eu disse e ela começou a rir, rir muito alto. 
- Nossa. - Eu disse e ela começou a parar. 
- O que foi? 
- Você ri das minhas piadas, que milagre. 
- Ninguém ri das suas piadas? 
- Sim, mas na maior parte do tempo eles levam para o lado emocional. 
- Oh, então tá. - Eu não acredito que você está brincando com os meus medos deste jeito senhor Justin Drew, eu te contei algo intimo, meus medos, meus pesadelos e você fica fazendo piadinhas? Não sei se posso mais confiar em você. - Ela disse séria, eu teria me assustado se não soubesse que ela estava brincando (Me assustei). - Como foi? Dramático o bastante? 
- Você é uma ótima a traz. Eu quase sai gritando e chorando daqui agora. - Eu disse e ela riu. 
- Eu iria adorar ver isso. 
- Ahh é? Você iria gostar de me ver chorar? E iria me deixar ir embora, porque não foi isso que eu fiz com você, eu vim a traz de você , eu fui a traz de você no seu quarto e fiquei lá mesmo você não abrindo a porta, eu me preocupo quando as pessoas choram e não levo isso na brincadeira, nem tudo que falamos as pessoas levam na brincadeira, e isso não foi legal da sua parte. - Eu disse sério e me levantei. 
- Fala sério Justin, isso foi ótimo mas chega de drama. - Ela disse rindo. 
-Drama? Para você é drama? Olha eu vim aqui de boa, servir de um ombro amigo, mas estou percebendo que deveria ter ficado lá dentro, com o meu ombro amigo em baixo das cobertas. - Eu disse me virei e sai andando. 
- Justin...Justin. Me desculpa, eu estou confusa, o que houve?. calma não vai embora. - Ela disse e segurou meu ombro. Me virei devagar. 
- Te peguei. - Eu gritei e ela se sentou no chão aliviada. 
- Cara, que susto, pensei que tinha dito algo mesmo, você me assustou. - Ela disse séria, depois olhou para mim e começou a rir. 
- Ótimo ator. - Ela disse e me abraçou fazendo nossos corpos balançarem de um lado para o outro, um abraço verdadeiro, um abraço de alegria que fazia muito tempo que não recebia, um abraço com vontade e aconchegante como esse. 
- Da que a pouco vai escurecer. - Ela disse olhando para a lua. 
- Eu prefiro a noite do que o dia. 
-Porque? 
- Não sei, durante a noite é tudo tão tranquilo, e calmo. Eu gosto disso. 
- Eu prefiro o dia. - Ela disse ainda olhando para a lua. 
- Porque? 
- Bem...eu posso ver borboletas lindas e coloridas voando nas flores, os cachorros correndo, o sol brilhando, e o mais importante, não tenho pesadelos. Mas na verdade eu prefiro o por do sol, a sombra do sol no lago, os pássaros voando, o céu meio alaranjado, e as vezes rosa. Não tem nada igual. 
- Acho que concordo com você. 
- Quer ver uma coisa? - Ela perguntou com um sorriso enorme
- O que? 
- Venha. - Ela disse, segurou meu pulso e me puxou. 


[...]


Lá no campo junto com os outros cachorros tinha um deles que se destacava. Um cachorro da raça Husky. 
- Ele chegou aqui semana passada. Henry foi no canil e ele estava machucado, tinha sido encontrado no mar, e está prenha. Cuidamos dela, e estamos fazendo de tudo para que os filhotes estejam seguros, ela parece bem melhor agora. E já está se acostumando. 
- Quem não se acostuma com todo esse amor, e espaço? E esses cuidados maravilhosos. Você trata todos como filhos e irmãos. 
- Eles merecem. E se nós temos espaço e condições não custa nada. 
- Quem começou com tudo isso? 
-Meu pai e meu vô, meu vô era campeão em hipismo e comprou este terreno para poder cuidar dos cavalos, meu pai nasceu e ele era totalmente obcecado com peixes, então montaram o aquário, e assim foi indo. 
- Então você puxou ao seu avô, com seu amor por cavalos. 
-É eu acho que sim, meu avó sempre quis me ensinar o hipismo, proficionalmente, e eu realmente adoraria, mas minha mãe sempre achou muito perigoso. 
- Eu adoraria aprender a andar de cavalo, ou pelo menos subir em um. - Eu disse sorrindo e olhando para os cachorros. 
- Eu adoraria te ensinar. - Ela disse me olhando. 
- Ohh não, não, eu não...eu não. 
- Fala sério, vai amarelar? 
- Não, é que ...
- Não vai me dizer que você tem medos de cavalos né? 
- Não, é que eu... 
- Então beleza, terça e quinta de manhã tudo bem? Você deve ser ocupado. 
- Na verdade eu... 
- Perfeito. Combinado. - Ela disse e me olhou com cara de sapeca. 
- Tudo bem. - Eu disse (me rendi). - Mas você vai ter que jantar lá em casa hoje. 
- Tem que ser hoje? 
- Sim. 
- Mas eu...
- Ain minha mãe vai adorar. 
- Mas Justin... 
- E aposto que ela deve estar preparando já, eu vou mandar uma mensagem. 
- Não Justin... 
- Pronto já mandei, agora não tem mais volta. 
- Tudo bem...ain não acredito que você usou meu próprio jogo  contra mim.

Continua...



TWITCAM ON NOWWW!

VENHAAM ME VER NA TWITCAMMMMM!!!! PLEASEEEEE !!!

http://twitcam.livestream.com/6mnmi

Forever & Always Cap 7 BIG

O filme terminou e o pessoal começou a agir como se estivesse vivo novamente. Mamãe levou todos os travesseiros e cobertores para seus devidos lugares (Quando eu disse que estavam acampados.... era sério). Caitlin foi para o quarto também, provavelmente para se arrumar, já estava quase na hora do almoço. Chris sentou do meu lado e ficou olhando o que eu estava fazendo. (Começou a me irritar).
- Você sabe que eu não gosto quando ficam do meu lado quando eu to na net não é?
- Siim, siim eu sei porque? - Ele perguntou na maior cara de pau. (Que vontade de meter a mão na cara, mas ele é meu amigo, não posso. Bendita amizade).
- Você poderia sair por favor, antes que eu fique bravo e deixe seu olho roxo. - Eu disse devagar e calmo, ele foi se levantando devagar e saindo me encarando.
- Hey pessoal, tem alguém de TPM aqui, por favor mantenham-se a no mínimo 1 metro de distancia de donzela sentada no sofá. - Ele disse e subiu as escadas rindo. (Bendita amizade).
- Precisa de um chá de camomila meu amor? - Mamãe disse rindo, descendo as escadas, e consegui escutar as risadas do Chris.
- OOhh é claro, já entendi, eu sou o único aqui que as piadas não são engraçadas.
- Não é isso meu querido, não se culpe, não é culpa sua, você só está em um dia ruim. - Mamãe disse em um tom de gozação e novamente o Chris riu.
- Me deixem em paz. - Eu disse e voltei a mexer em meu IPad. (Já to vendo que esse almoço não vai ser muito bom).
- Deixem a donzela em paz. - Caitlin disse descendo as escadas, já arrumada.
- Ha ha ha, que gracinha.
- O que você tem hoje Justin?
- Nada, vocês que tiraram o dia para me incomodar, eu estava tranquilo aqui.
- Estava ?
- É, tava, agora não estou mais., Estava, o passado de Estar, significa que NÃO estou mais.
- Credo, tirou o dia para dar patadas. - Ela disse e foi para a cozinha.
- Chris, está pronto ?? - Mamãe gritou.
- Já estou descendo, só um segundo.
- Vamos Justin ?
- Eu não quero ir.
- Eu não vou fazer seu almoço.
- Eu não me importo.
- Fala sério Justin, deixe de ser chato, vai ser divertido. - Caitlin disse.
- Eu vou acabar falando alguma merda.
- É só você não falar nada.
- Ai eles vão achar que eu sou um antissocial, antipático, metido.
- Eles ou a Amy?
- O que tem a Amy?
- Vamos logooo.
- Eu não quero.
- Tudo bem, se ele quer ficar aqui sozinho, em vez de ir lá, rir e se divertir, conversar com aquela adorável garota, e ter a chance de conhecer alguém que não é metido(a) a estrela do pop, perder a chance de conhecer e conversar com pessoas NORMAIS, que não sabem quem é o JUSTIN BIEBER. - Mamãe disse e fiquei em silencio. (Droga ela sabe me convenser) .
- Beleza vamos. - Eu disse e me levantei.

[Já na casa]
- Meu tio esta lá na cozinha. - Amy disse e fechou a porta.
- Ohh bom, eu vou lá ajuda-lo. - Mamãe disse e saiu.
- Vocês querem conhecer a casa enquanto o almoço não fica pronto?
- Eu adoraria. - Caitlin disse com seu sorriso de "Eu quero ser sua amiga" (Sei muito bem o que ela deve estar pensando) . "Ela seria uma ótima amiga" - Eu aposto.
Amy nos mostrou a casa, e realmente eles tem muuuito dinheiro. [Sala1],[Sala 2],[Sala 3][Sala de Jantar] [Cozinha],[Bliblioteca], [ 2 ] [Quarto Henry], [ Quarto Nicolly], [Quarto Amy ], e etc...
(Vocês lembram que eu disse que não parecia aquela casa cheia de "fru-frus", bem, então eu me enganei).
- Em o que Henry trabalha? - Chris perguntou impressionado com a casa.
- Ele não trabalha. - Amy respondeu e riu. - Eu sei, eu sei. "Como vocês mantém est´casa?" - Eu não sei, não faço idéia, já pensei nisso, mas nunca encontro uma resposta, resolvi desistir de pensar sobre isso.
- É realmente uma casa incrível, e muito aconchegante. - Caitlin disse, ainda com seu sorriso amigavel.
- Eu só uso o meu quarto a cozinha, e a sala de tv mesmo, o resto do tempo, eu estou lá fora com os cavalos, ou em qualquer lugar.
- Você já leu todos os livros da biblioteca? - Chris perguntou. (Só para constar, nós estávamos em uma das salas. Eu, Caitlin e Chris estávamos no sofá grande, e Amy estava na poltrona, com as pernas cruzadas)
 - Não, mas quase todos. Eu nunca fui para a cidade, meu tio sempre vai para lá, e me traz livros, Cds, e coisas assim.
- Você NUNCA foi para a cidade? Nunca saiu daqui? - Chris perguntou assustado.
- Não, eu tenho tudo que preciso aqui, e sisséramente não sinto tanto interesse em ir no shopping ou coisas assim, posso pedir tudo por telefone, e bem...acho que vocês entenderam.
- Se eu tivesse tudo o que voce tem,pensaria da mesma forma. - Caitlin disse.
-O Almoço está pronto cambada...Hchuum, pessoal. - Henry disse em uma espécie de "alto-falante" (Olha o nível da casa), e todos rimos.
Levantamos e fomos para a mesa.

[Alguns minutos depois]

- Então Amy, você vai fazer faculdade ou algo assim? - Mamãe perguntou.
- Na verdade não, mas se eu fosse fazer algo eu gostaria de fazer fisioterapia.
- Por que? - Chris perguntou.
- Tenho paciência com crianças e pessoas especiais, gosto de cuidar deles. - Ela disse.
- Cade a Nicolly? - Henry perguntou.
- Está dormindo, ela não dormiu muito bem hoje, vou deixar ela dormir mais um pouco.
- Isto é legal. - Eu disse e todos me encararam.
- O que é legal ? - Caitlin perguntou.
- Fisioterapia, ela querer cuidar de crianças especiais.
- Obrigada. - Ela disse e sorriu.
- E você Justin? - Henry perguntou.
- Eu o que ?
- Trabalha em que? faz faculdade? - Ele perguntou e eu engoli seco, e bebi um pouco do suco.
- Bem...por enquanto não estou trabalhando nem nada. Mas eu ganho meu dinheiro. - Eu disse em mamãe abaixou a cabeça. - Eu sei que vou levar uma bela bronca quando chegar em casa, e que ela está totalmente decepcionada comigo, mas é a minha única chance de ser normal, pelo menos para eles.
- Como...
-Nossa isso está ótimo, o que é? - Caitlin perguntou me salvando, ela olhou para mim e balançou a cabeça meio que dizendo "Denada".
(Terminamos o almoço e ficamos na sala conversando mais um pouco, meu "mau humor" foi embora. )

- Ainda está chovendo? - Caitlin perguntou e foi até a janela. - Sim, ainda está chovendo. Aff.
- O que vocês acham de assistir um filme? - Amy perguntou.
- Eu topo, qual filme ?
- Justin, pega esta caixa atraz de você por favor? - Ela disse e eu me virei, tinha uma caixa azul, peguei e entreguei para ela.
- Escolham vocês ai meninos. - Vamos lá. - Ela disse puxando a Caitlin.
- Para aonde?  - Ela disse.
- Para a cozinha.... - Ela disse e as duas saíram.
- To gostando desse seu sorriso ai. - Chris disse olhando os filmes.
- Que sorriso.
- Esse ai. - Porque está sorrindo?
- Não sei, estou feliz.
- Você estava muito extressado antes de vir para cá.
- Sei lá, o pessoal aqui me anima.
- Só tem uma pessoa aqui. tirando eu vc e a mana.
- Eu sei.
- Então vc quis dizer que a Amy te anima?
- Não.
-Não?
- Sim .
-Sim/?
- Não.
- Sim ou não?
- Sim, ela é legal. - Eu disse e ouvi passos de alguém correndo. Meu coração bateu, e se ela ouviu? Mas era a Caitlin.
- Acho melhor falar um pouco mais baixo, a casa é grande, mas faz eco. - Ela disse e pegou seu celular que ela tinha deixado no sofá.

[Justin narrando off]
[Amy narrando on ]
- Deve ser divertido ter irmãos como eles. - Eu disse colocando a pipoca no mico-ondas.
- Justin não é meu irmão, mas é como se fosse. Tem seus lados bons e ruins. - Ela disse e riu.
Olhei para a porta da cozinha e Nicolly estava lá, ela pegou seu apare linho que estava segurando e colocou na orelha.
- Venha aqui. - Eu disse alto e Caitlin não entendeu porque meu tom de voz estava elevado.
- Nicolly, está aqui é a Caitlin. - Eu disse com o meu tom de voz auto.
- Prazer em conhece-la Nicolly. - Caitlin disse com sua voz baixinha e fina. Nicolly olhou para mim.
- Diga um pouco mais auto.
- Prazer em conhece-la Nicolly. - Caitlin repetiu e Nicolly sorriu.
- Você quer sorvete?
- Não, eu vou desenhar. - Ela disse [Pessoal, quando a Nicolly falar SEMPRE vai ser em lingua de sinais Ok? ] - Nicolly disse, desceu na bancada e saiu.
- Ela?
- Sim, é meio complicado de explicar mas é isso. Ela é muda, e tem problemas de audição, ela tem sorte de conseguir ouvir, está ficando cada vez melhor, mas temos que falar um pouco auto.
- Ela é uma graça.
- A pipoca ta pronta vamos?
- Sim.

Voltamos para a sala e os meninos estavam olhando os filmes.
- Já escolheram? -Caitlin perguntou, eu entreguei uma bandeja com pipoca para cada um e me sentei com as pernas cruzadas no sofá.
- Sim. O que vocês acham de A árvore da vida, parece legal ?? - Justin perguntou.
-Sobre o que é ? - Perguntei.
- Eu não sei, - ele disse e Chris riu.
- Vai esse mesmo. - Caitlin disse e sentou ao meu lado.
(Nós assistimos o filme, eu estava me segurando a máximo para não chorar, mesmo que cada cena, cada palavra me fizesse lembrar do meu pai, e pensar sobre a minha mãe, é dificil para mim pensar e principalmente falar sobre isso, é difícil explicar. Eu estava forte até chegar a parte em que o garoto fala.
" Pai...Mãe, vocês sempre estiveram do meu lado, vocês sempre estaram " - Um flash back passou pela minha cabeça, os últimos momentos do meu pai, cansado, fraco, os poucos momentos com a minha mãe, é tudo o que eu tenho agora, lembranças, pensar em tudo isso me machuca, mas ver aquele filme expressar tanto sentimento sobre isso, tanta coisa que se encaixa perfeitamente no meu quebra cabeça eu não aguentei. - Levantei e sai correndo, para o meu quarto. - Por favor não me perguntem. - Eu disse subindo a escada enquanto eles me olhavam. Aposto que todos ficaram confusos, mas não quero, e não vou voltar para dar explicações....

[Amy narrando off ]
[Justin narrando on]
- O que houve? - Chris perguntou assustado.
- Ela deve ter...bem, o pai dela morreu. Então...
- Ohh. - Os dois falaram ao mesmo tempo.
- E agora?
- Eu vou falar com ela. - Caitlin disse e se levantou.
- Não. - Eu disse e ela parou. - Deixa que eu vou, acho que sei como acalma-la. - Eu disse e ela me olhou confusa.
- Justin você...
-Não, eu não ficar com ela. Aff.
- Então beleza. - Nós vamos para casa. - Chris disse e colocou a pipoca na mesa.
- Vejo vocês lá. - Eu disse e Caitlin sorriu.
- Manda um beijo para ela, e passa meu numero por favor.
- Tudo bem. Vou tentar achar o quarto dela aqui nessa casa minúscula. - Eu disse e eles saíram. - Não foi nadinha fácil achar o quarto, eu voltei para o mesmo lugar 2 vezes, até que consegui, vi uma porta com o nome Amy escrito. Acho que deve ser o quarto dela...só acho.
- Amy, você está ai ?- É o Justin, por favor abre a porta. - Eu disse e nada, nadinha, nem um suspiro. - Amy, por favor, eu quero falar com você.
- Me desculpa, mas eu não quero falar com ninguém. - Ela disse em soluços. Olhei para o lado e Henry estava vindo.
- O que houve? Escutei o pessoal ir embora.
- Eu não sei. - Eu disse e ele bateu na porta.
-Amy, tudo bem? - Ele perguntou e eu escutei barulhos de escada. - Ela subiu.
- Para aonde ?
- O lugar para onde ela vai quando ta triste. Vai demorar para ela sair de lá. - Ele disse e colocou a mão na cabeça.
- Eu vou para casa, mas se por acaso ela voltar, diga para ela que se quiser eu, estou lá para ela conversar sobre tudo, e a Caitlin, mamãe, e o Chris também. - Eu disse e entreguei os telefones.
- Obrigado Justin. - Ele disse e eu desci.....

[Algumas horas depois]
Caitlin e Chris estavam dormindo na sala, e mamãe assistindo tv na cozinha enquanto fazia alguma comida. Olhei pela janela do quarto da mamãe que tinha uma vista para o lago, e vi Amy sentada atirando pedras, com o rosto inchado e vermelho. Não pensei duas vezes, fui atraz dela, tentando não fazer barulho para ninguém acordar. Tentei chegar ao lago sem precisar entrar na casa deles, e achei um caminho mais fácil do que pensei.
   Sentei ao lado dela e ela enxugou as lágrimas.
- Não precisa me dizer nada, não vim aqui para te perguntar nada, pode continuar chorando, eu só acho que se você quiser chorar em um lugar mais confortável meu ombro está bem aqui do seu lado. - Eu disse e ela abaixou a cabeça.
- Porque está fazendo isso, achei que vocês estariam com medo agora, e nunca mais iriam voltar.
- Estou fazendo isso porque quando eu não aguento ver uma garota chorar, ainda mais sabendo que o motivo deve estar machucando e muito ela por dentro.
- Você sabe não é ?
- Sim.
- Obrigada. - Ela disse e atirou mais uma pedra.
- Não precisa dizer nada, eu sou um boneco aqui do seu lado, faça o que quiser com ele. - Eu disse e ela riu.
- posso afogar o boneco na agua?
- Não.
- Você disse o que eu quisesse.
- Menos jogar na agua. - Terminei e ela riu.
- Você é tão diferente.
- Diferente como? - Perguntei e me aproximei mais.
- Eu não sei, é tão verdadeiro, e é você mesmo, sinto que você é transparente, só você, sem nenhuma mascara. - Ela disse e eu abaixei a cabeça.




Continua...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Forever & Always - Cap 6

[Amy narrando on ]
E aqui estou eu novamente, 5 horas da manhã e eu estou aqui cuidando dos cavalos, como sempre. As vezes eu paro para pensar porque? porque eu não tento mudar um pouco? Porque eu não faço nada de diferente, e sempre...sempre me vem a resposta na cabeça. "Os cavalos são parte de você, você pode tentar mudar, e fazer algo totalmente diferente, mas você sempre vai voltar para aonde o seu coração nasceu, e onde ele sempre vai estar". - Vovô costumava me dizer, a vida sem meus heróis é complicada, mas não impossível, meu Pai e meu avô, praticamente juntos, apenas 2 anos de diferença, e ainda tem a pequena Belly. Eu sempre costumo afastar estes pensamentos quando começam a se aproximar, mas parece que estão tão profundos agora. A vontade de saber o que houve com minha mãe...não Amy, você não quer saber nada sobre a sua mãe, você sabe o que houve, ela não queria ter filhos e então deixou tudo para o...- Ain papai eu sinto sua falta. - Havek me tirou dos meus devaneios colocando seu enorme focinho em minha perna.
- O que foi garoto? - [Fazendo carinho] - Ele olhou para a saída do celeiro, e eu segui seu olhar. Nicole estava ali, parada na saída do celeiro, de pijamas, ela estava chorando e seu rosto tinha uma expressão assustada. - Corri até ela e ela me abraçou. Olhei em sua orelha e ela estava sem seu aparelho de audição. A soltei devagar e me agachei para ficar no seu tamanho.
- O que houve? - Perguntei na linguá de sinais. - Está frio aqui fora.
- Sonhei com a mamãe. - Ela disse [sinais] e eu respirei fundo. - No sonho ela morreu. - Ela terminou e me abraçou de novo. Eu queria muito dizer a ela que a mamãe não iria mais voltar, mesmo eu não sabendo se ela está viva ou morta, eu queria mais do que tudo tirar esta dor dela, está expectativa, no começo eu também esperava ela voltar, mas agora percebi que ela não vai, mas Nicole ainda é muito nova, precisa de uma mãe. Estes pesadelos com mamãe que ela tem são frequentes, geralmente são de madrugada e ela vai para o meu quarto para dormir comigo, mas pelo jeito hoje, o pesadelo veio um pouco atrasado.
- Venha, vamos entrar. Está muito frio aqui fora. - Eu disse e segurei sua mão. A mão dela estava muito gelada com sempre, provavelmente seu rosto também está, mas vou checar isto quando chegarmos em seu quarto. - Chegamos no quarto, ela deitou em sua cama, e eu sentei logo em frente, coloquei a minha mão em seu rosto, e me assustei por não estar mais gelado, e sim quente.
- Fique deitada, eu já volto. - Eu disse e fui buscar um termômetro, voltei para o quarto e ela estava olhando para a chuva que estava começando a cair. Me sentei na sua frente novamente e coloquei o termômetro em baixo do seu braço. Peguei o caderno de desenho dela e o entreguei.
- Você quer desenhar como foi o sonho? - Perguntei, sabendo qual seria a resposta. -Como esperado ela aceitou e pegou o caderno da minha mão. - Começou a desenhar devagar, eu escovava seu cabelo, [típica sena pós pesadelos]. Ela virou para mim e me mostrou o desenho.
No desenho tinha um carro no mar, e duas pessoas na estrada, abraçadas, era uma ponte e provavelmente o carro tinha caído no mar.
- Mamãe estava no carro? - Perguntei e ela balançou a cabeça afirmando.
- E quem são estes? - Perguntei, e ela apontou para mim. - Eu e mais quem? - Perguntei novamente e ela apontou para a janela. Fui ver o que ela e consegui ver que o Justin estava na janela olhando para a "paisagem".
- O Justin? - Perguntei e ela afirmou.
- Você o conhecê? - [Ela negou] - Sentei na cama e respirei fundo, olhei para ela e sorri. Foi só um sonho Niih, nada disso vai acontecer Ok? - Eu disse e o termômetro apitou. - 39 graus. - Você está com febre.....
[Amy narrando off]

[Justin narrando on ]

Acordei cedo e fui tomar banho, me trocar e etc... - Tentando fazer menos barulho possível, por que sei muito bem que Caitlin tem ouvidos sensíveis, e acordaria ela até se eu respirasse um pouco mais alto, mesmo ela estando no quarto de hospedes do andar de baixo. - Me arrumei, arrumei minha cama e tirei algumas roupas do chão. - Chuva, porque chuva? não acredito que deu para fazer frio e chover hoje. Tudo que eu mais queria era ficar em casa dormindo. Abri a cortinha para ver melhor aquela chuva, e vi a Amy e sua irmã na cama. - A pequena estava desenhando algo, e Amy estava penteando seu cabelo. Porque me dá tanta curiosidade sobre a vida dela? Porque eu tenho tanta vontade de saber tudo sobre ela? Porque ela não sai de casa? Quem é Belly ? Como são tão ricos se o tio dela não trabalha? - Perguntas sem respostas rodearam minha cabeça enquanto eu olhava aquela sena entre irmãs. Até que Amy se levantou e foi até a janela, usei minha tática de fuga e fingi olhar para a paisagem, até que ela voltou novamente para a cama.
- Justin? você está acordado? - Mamãe disse e abriu a porta devagar. - De novo nessa janela?
- Eu já estou saindo mamãe, está pronta?
- Scooter ligou no seu celular, que mais uma vez você deixou lá na sala, e disse que a chuva acabou com um dos fios de energia da gravadora, e vão ter que suspender tudo até amanhã, porque apenas amanhã vai chegar o cabo que eles precisam.
- Eles não tem reserva de energia? Sempre teve.
- Sim, mas parece que usaram tudo em um apagão que houve na ultima chuva que deu aqui.
- Ahh, eu lembro disso.
- Então...se quiser pode ir dormir. - Ela disse e riu, parece que leu meu pensamento.
- Chris e Caitlin já estão acordados?
- Sim, estão lá na sala, eles vão passar a tarde com a Amy depois do almoço, porque não vai com eles?
- Você realmente gostou da Amy não é ?
- Sim, ela é um doce, e adivinha.
- O que?
- Vamos almoçar na casa deles. - Ela disse rápido e saiu correndo, provavelmente para não ouvir um, eu não quero ir. - Olhei no meu celular e tinha 5 mensagens novas. fui abrindo uma por uma.
- Operadora, Operadora, Operadora....Ohhhh, Operadora. ¬¬ Aff. - Olha, Chaz.
"Fiquei sabendo que você está ai com os Beadles, entra no Skype cara, preciso falar com vocês" - A mensagem dizia.
Peguei meu IPed e desci para a sala, lá estavam os Beadles e mamãe acampados, pareciam estar mortos (O que a preguiça não faz com as pessoas?) - Pensei que estariam alegres, e animados, vão passar a tarde com a vizinha dos cavalos. - Eu disse e todos me encararam.
- Porque você está falando assim Justin? - Mamãe disse.
- "A vizinha dos cavalos? " Qual é a sua? - Chris disse sério.
- Credo gente, era para ser engraçado.
- Não foi. - Caitlin disse curta, e séria.
- Credo, acho melhor eu ficar calado até a hora do almoço. - Eu disse e me joguei no sofá. fiquei mexendo na net, enquanto eles assistiam um filme totalmente depressivo.
- Esse filme é muito chato. - Eu disse já cansado de ver pessoas chorarem.
- Eu me lembro de alguém falando algo sobre, ficar quieto até a hora do almoço. - Mamãe disse concentrada no filme, e enxugando as lagrimas...

Continua... 
(Proximo capitulo vai ser BIG) 

domingo, 18 de setembro de 2011

Ela merece!!

Então né gente, eu to aqui para encher o saco de vocês com esses avisos minúsculos, mas este não é mais um aviso inútil (nenhum nunca foi inútil) É uma parada séria, muito séria... Seríssima.
Eu, Mary estou aqui para falar sobre o blog da menina que salvou minha vida (exagero), mas foi quase isso.
Bem, vou começar dizendo que ela e super talentosa, e a IB dela é tipo...tipo...tipo a prova que ela é talentosa. É incrível, tem 4 capítulos, e se você ler, vai viciar, eu quase não tenho tempo para ler Ibs, mas a IB dela me pegou de um jeito que tipo (F#**). Bem... se você acha a minha IB legal, pensa em uma 98 vezes melhor, é isso  mesmo. (sem propaganda enganosa). Eu fico tipo "O.O' lendo. A única coisa que eu não gosto na IB dela, é que acaba. :'(, e eu tenho que esperar pelo próximo capitulo, triste não é? - Mas quem se importa (EU) A IB dela é magnifica, e apenas Beliebers que não gostam de IBs magnificas não vão ler,  então tipo, eu acho que TODAS as Beliebers deveriam ler.
Ela merece, Ela merece, Ela merece (8) (Comigo, levantando as mãos) - Ela mereceeee uhuul (8)
(Momento de surto passou)
Então gente, por favor sigam o blog dela, e é CLARO, leiam a IB. Aproveitem que está no comecinho. Só não vale ler a dela e esquecer da minha, assim eu choro :'(.

http://thedreamhasnoend.blogspot.com/

http://thedreamhasnoend.blogspot.com/

http://thedreamhasnoend.blogspot.com/

http://thedreamhasnoend.blogspot.com/


PS: Se você não gosta de IBs magnificas, leia, e siga pelo cachorrinho fofo ai em baixo. OBRIGADA.

Forever & Always - Cap 5

No dia seguinte minha rotina já estava de volta, acordei muito cedo e fui tomar café com a minha mãe. Por incrível que paresia, encontramos Caitlin e Chris no restaurante, e mamãe voltou para casa com ela, enquanto eu e Chris fomos fazer os meus "deveres". Fiz 2 entrevistas pela manhã, almocei com o Chris e Kenny. Na parte da tarde fiquei no estúdio, fiz uma entrevista pelo celular, e terminei os últimos taques de uma musica. No final da tarde fui até o Starbucks com o Chris e o Kanny, e depois tive uma pequena seção de fotos. Mais ou menos 18:30 voltamos para casa.
- Mamãe? - Gritei.
- Caitlin? - Chris gritou e escutamos risadas. Joguei minha bolsa, no sofá, e subimos as escadas seguindo o barulho das risadas.
- Acho que está vindo do quarto de hospedes. - Eu disse e continuamos indo até chegar lá, Chris abriu a porta devagar e as risadas aumentaram.
- Mãe? Cait? Amy? O que ta acontecendo? - Chris perguntou e olhou para mim assustado.
- Nada, estamos conversando, porque? - Caitlin disse e segurou a risada.
- Não é nada, e que...sei lá.
- Então...continua, é sério que você fez isso? - Caitlin perguntou para a Amy e as risadas voltaram.
- Sim, foi horrível. - Ela respondeu e riu, deu MUITA vontade de perguntar o que era, mas me segurei e apenas disse.
- Eu vou tomar banho, mamãe, pede uma pizza para agente por favor ? Estou com fome de pizza.
- Claro, daqui a pouco eu ligo. - Ela disse e eu sai, Chris ficou no quarto com as meninas e eu fui para o meu. O que será que ela fez? O que foi tão horrível, porque eu estou tão curioso?, e porque eu estou pensando nisso?. Aff tanta coisa importante para eu pensa, como...como...É não tem muitas coisas. Vamos lá Justin você está no banho é sua hora de refletir. Pensa. Faz tempo que eu não faço uma Twitcan, acho que vou aproveitar que os Beadles estão aqui e fazer uma. Ou talvez só dormir. Tenho que ver minha agenda para amanhã, dependendo do que tiver eu decido.
- JUUUUUUUSTIN. - Chris gritou na porta.
- O QUE ÉÉÉÉ?
- A Pizza chegou, morreu ai dentro ou o que ??
- Já to saindo.
Sai, me troquei e desci.
- Pensei que tinha infartado lá dento. - Caitlin disse e mamãe riu.
- Então...WAZZUUUP? - Perguntei e Caitlin riu.
- Vai ter que aguentar agente aqui essa semana. - Chris disse.
- Vão dormir aqui?
- Sim, mamãe e papai resolveram dar um tempo da gente.
- Com razão. - Eu disse e ela me olhou assustada.
- É brincadeira doçura.
- Pelo menos não vou ficar sozinha aqui nessa casa enorme. - Mamãe disse e deu uma mordida assustadora em sua pizza.
- Porque Amy não ficou para comer com agente? - Perguntei e todos se encararam.
- Ela...hum...ela tava com dor de dente. - Caitlin respondeu desviando o olhar, e todo olharam para a mesa ao mesmo tempo, tentando não me encarar.
- O que foi?
- Porque você mentiu para ela?? - Mamãe perguntou
- Hãn?
- Você sabe do que estamos falando. Se você quer a amizade dela, não vai conseguir mantes esse segredo por muito tempo.
- Mas eu não menti. Eu só não disse que sou um cantor famoso.
- Bem...digamos que esse é um detalhe bem importante. - Chris disse e todos balançaram a cabeça.
- Eu vou falar ok? Eu nem conheço ela direito.
- É bom mesmo, uma amizade apenas funciona sem segredos.
- Tudo bem, eu já entendi, mas porque ela não ficou ??
- Recebeu uma ligação e disse que tinha que sair. - Chris falou e mostrou a linguá para a Caitlin por algum motivo.
- Eu vou ficar na fazenda com ela amanhã. - Caitlin disse e sorriu.
- E eu vou ficar com elas. - Chris disse e sorriu também.
- Eu vou com você para o trabalho Justin.
- Pelo menos, minha mãe não me abandonou pela vizinha. - Eu disse e todos riram.
- Ela é muito legal, você deveria conversar um pouco com ela. - Chris disse.
- Eu já conversei com ela.
- Que bom, eu gosto quando você faz amizades com pessoas transparentes.
- Eu nem vou perguntar o que você quis dizer com isso....

[...]

Terminamos de comer e fomos assistir tv, eu esqueci totalmente dos planos que tinha feito no banho.
- Justin...- Caitlin disse baixinho bem sonolenta.
- O que foi Cait?
- Me promete uma coisa? - Ela disse e passou a mão no olho sonolenta.
- Claro.
- Não tente ser quem você não é. Todos te amam por você ser você, não estrague tudo com um capricho idiota.
- Do que você está falando?
- Apenas prometa.
- Eu prometo guerreira. - Eu disse e dei um beijo na testa dela. Mas eu quero que você me prometa outra coisa também.
- Pode falar.
- Não deixe nenhum menino te estragar.
- De quem você está falando?
- Você sabe.
- Porque ele iria me estragar.
- Apenas prometa.
- Eu prometo. - Ela disse, fechou os olhos e sorriu. Olhei para o lado e o Chris também estava dormindo.
- Heyy, cara acorda. - Eu disse e ele levantou sonolento.
- Vão para o quarto, eu sei que o sofá é gostoso, mas a sua cama é melhor, bora dormir moleque.
- Caitlin dormiu?
- Sim, relaxa que eu levo ela. - Eu disse e eu me olhou sério.
- O que ?
- Porque ela você carrega e eu não?
- Porque você é homem, me poupe......

Continua... 
Como eu sou do mal, eu vou postar este capitulo pequeno. E se vocês forem legais comigo comentando o próximo é BIG. mua-ha-ha-ha-ha. Eu sou muito má, mentira eu sou um doce, e a prova disso é o cachorro bonitinho ai em cima. 
Me sigam no Twitter. @ItsMaryAmi 
Tumblr: maryaami.tumblr.com
e se inscrevam no youtube, POR FAVOR. 
youtube.com/maaryami 
XOXO!!






terça-feira, 13 de setembro de 2011

Forever & Always - Cap 4

- Vamos dar uma olhada nos peixes do aquário, e de lá minha sobrinha acompanha vocês. - Ele disse e todos seguimos ele.
- Viu, agora você vai poder conhecer ela. - Caitlin disse e sorriu.
- Talvez.
- Porque talvez?
- Talvez ela seja legal, e se torne nossa amiga
- Fala sério Justin, porque só amiga?? Ahhhh verdade, esqueci que você já ficou com todas suas amigas.
- Que mentira, eu nunca fiquei com a...- Eu disse e olhei para a Caitlin e me lembrei de todos os momentos que passamos juntos, faz tanto tempo que a Cait é considerada minha irmã, que eu até já esqueci que um dia fomos um casal, e que algumas das musicas que fiz foi para ela. - Olhei para o nada e abaixei a cabeça.
- Viu, eu estava certo. - Chris disse e a Cait riu, nem se importando.
- Pode até ser, mas eu não quero ficar com ninguém, estou dando um tempo em relacionamentos.
-AAAAAHHHHHHH. - Caitlin gritou, e todos olharam para ela. - OMG, olha que fofa aquela borboleta.
- Aff, Caitlin nós estávamos conversando sobre uma parada séria aqui, você me assustou. - Chris disse e ela olhou séria para ele.
- Vocês estão decidindo algo sobre uma menina que vocês nem ao menos conhecem, por favor, relaxem e admirem a paisagem. - Ela disse e saiu andando na nossa frente, acelerando o passo para alcançar a mamãe.
O Homem abriu uma porta e descemos uma escada grande, provavelmente o aquário fica lá em baixo, lá em baixo tinham 2 portas, ele abriu uma delas, e logo a luz forte, dos aquários ficou visível. Tinham todo tipo de aquários  Grandes pequenos, médios, e no final da sala tinha um ENORME, e na frente dele, a menina do cavalo, junto com sua irmã.
- Hey meninas. - Ele disse e a maior olhou, a pequena nem se moveu. Ela se levantou e caminhou até agente. Só tinha eu e mamãe ali, Caitlin e Chris estavam se divertindo olhando para tantos estilos diferentes de peixes.
- Oi. - Ela disse e sorriu.
- Olá, parabéns,seus cavalos são lindos. - Mamãe disse e ela sorriu.
- Você pode acompanhar eles até os lago ??
- Claro, querem ir agora, ou vão dar mais uma olhada os peixes? - Ela disse e olhou para mim, esperando que eu dissesse algo.
- Vamos agora mesmo. - Chris disse e estendeu sua mão. - Eu sou o Chris, prazer.
- E eu sou Caitlin, irmã do garanhão ai. - Caitlin disse, e colocou a mão sobre o ombro dela.
- Eu vou para casa, divirtam-se. - Mamãe disse, e saiu.
- Bem...esperem apenas um segundinho. - Ela disse e foi até aonde sua irmã estava sentada. Falou algo bem perto de seu ouvido, ela fez sim com a cabeça e depois voltou.
- Prontinho, vamos?
Todos fomos seguindo ela até sairmos de todas as salas, e chegarmos novamente ao ar livre. Um silencio constrangedor tomou conta, são nessas horas que eu sinto falta da voz irritante do Chris. Estava com os dedos cruzados para alguém dizer alguma coisa, e quando olhei para eles, recebi um olhar de "Diga alguma coisa". Então resolvi abrir minha boca.
- Huum, qual é o seu nome?? - Perguntei confuso, não sabia se ela já tinha dito seu nome, mas eu realmente não lembrava.
- Ohh, meu nome é Amy.
- Você, gosta de musica?? - Caitlin perguntou. Sabia muito bem aonde ela queria chegar, e iria terminar com "Justin Bieber".
- Sim, sim claro quem não gosta. - Ela respondeu e sorriu.
- Que estilo de musica??
- Não sei, pop, um pouco de coutry, tenho alguns cds da Taylor Swift, Beyonce, Christina Arguillera, mais ou menos este estilo de musicas.
- Legaal, você conhece uma musica chamada "Baby"?? - Chris perguntou e eu abaixei a cabeça.
- Não, não quem canta? - Ela perguntou tirando uma folha que tinha caido em seu rosto.
- Justin Bieber. - Eu respondi e ela continuou na mesma.
- Nunca ouvi falar, na verdade não pesquiso muito sobre isso, meu tio costuma trazer cds para mim quando ele vai para a cidade, e todos os cds que ele trouxe até hoje, são ótimos, vou me lembrar de pedir para ele trazer o cd dele a próxima vez.
- Não. - Eu disse, um pouco mis alto e desesperado do que eu gostria.
- O que foi? As musicas não são boas?
- Não,na verdade não, não vale a pena ouvir. - Respondi e o Chris e a Cait ficaram me olhando tipo "WHAAT??"
- Ok, e vocês, são irmãos?
- Não, somos amigos a muuito tempo, irmãos de coração. - Eu respondi e a Caitlin sorriu.
- Vocês moram todos juntos?
- Não, viemos apenas visitar. - Chris respondeu.
-AAHHHHHHHH. Caitlin começou a gritar. - Tem alguma coisa no meu pescoço, omg, tem algo no meu pescoço.
- Calma, fica calma deixa eu ver. - Amy disse calma e foi até a Cait.
- É uma joaninha. - Ela disse e colocou a joaninha na arvore.
- Obrigada. - Caitlin disse e continuamos andando.
- Precisava de todo aquele escândalo?? - Chris disse e Amy riu.
- Eu pensei que fosse uma aranha, fica quietinho Chris.
- Chegamos. - Amy disse e logo conseguimos ver o lago, eu pensei que era um lago pequeno, mas isto é enorme e lindo. - Ali naquela pedra é onde as tartarugas adoram ficar. - Ela disse e o Chris e a Caitlin novamente correram para lá. Até parece que eu nunca levei eles para as Bahamas, é sério pareciam ter 10 anos de idade, se bem que aqui é tudo tão natural, e só de pensar que apenas 2 pessoas cuidam de tudo isso, realmente deixa o lugar 98% mais encantador.
- Não tem nenhum animal perigoso aqui não né? - Perguntei, e ela riu baixinho.
- Não, o mais perigoso e a Panny, minha cachorrinha. Ela não faria mal a uma mosca. - Ela respondeu, sorriu e olhou para as "crianças" se divertindo com as tartarugas.
- Quantos anos? - Perguntei baixinho.
- O que?
- Quantos anos você tem? - Perguntei novamente.
- 17, vou fazer 18 este ano.
- E você pretende sair daqui?
- Não, este lugar é a minha vida, acho que teria que ter algum tipo de preparação psicológica para poder sair daqui, acho que não trocaria isso por nada.
- Você nasceu aqui?
- Não, eu nasci no Brasil, mudei para cá bem pequena, eu nem ao menos sei falar português, mas eu posso dizer que cresci em torno disso. No começo era tudo muito pequeno, nos tínhamos os cavalos, e tudo mais, mas foi crescendo com o tempo.
- Dá muito trabalho cuidar de todos os cavalos sozinha??
- Não, na verdade eu não tenho nada para fazer, então é como se fosse um passatempo.
- Deve ser muito bom, uma vida calma assim.
- E você?
- Eu o que ?
- Qual é seu passatempo? - Ela perguntou e eu comecei e rir para mim mesmo.
- O que foi?
- Se eu contar você vai se assustar. - Eu disse e me sentei na grama.
- Agora eu quero saber. - Ela disse e se sentou ao meu lado ( um pouco mais afastado).
- Bem...deis do meu primeiro dia aqui, que foi na sexta, o meu robe tem sido, como eu posso dizer, observar você.
- Eu? Ta brincando né? - Ela disse sorrindo, e rindo ao mesmo tempo.
- É sério.
- Então o que você aprendeu, com seu novo robe? - Ela perguntou em um tom, um tom que não consegui identificar, e se olhou para o lago.
- Que você adora cavalos, sabe tocar violão muito bem, canta super bem também, ohh, leva o lixo para fora,  lê antes de dormir, e que você sorri como um anjo. - Eu disse olhando para ela sorrindo. Ela olhou para mim e soltou uma pequena risadinha.
- Pelo jeito você está mesmo se dedicando ao seu novo robe.
- Ficaria mais fácil se você quisesse me contar algumas coisas, eu não precisaria descobrir sozinho assim.
- O que você quer saber?
- Nome completo?
- Amy Cimorelly. - Ela respondeu e eu fiquei em silencio.
- O que foi?
- É tudo que eu preciso saber. - Respondi e ela sorriu.
- E você qual é seu nome completo.
Pensei antes de responder 'Justin Bieber", mas por um minuto, por esse minuto, ou pelo menos para ela eu não quero ser o "Justin Bieber".
- Justin Drew. - Respondi e Caitlin voltou.
- Mamãe acabou de ligar, temos que ir. - Catlin disse e nós nos levantamos.
- Tudo bem.
- Nós voltamos para o pátio da casa, e Amy nos levou até o portão.
- Prazer em conhecer você Amy. - Caitlin disse e abraçou ela.
- O prazer foi todo meu.
- Tchau Amy. - Chris disse e a abraçou.
- Até. - Eu disse e dei um beijo em sua bochecha, e ela sorriu....


CONTINUA...